sexta-feira, maio 26, 2017

Isabel Guerra – A freira pintora espanhola


Madre Isabel Guerra (Madrid, Espanha, 1947) é uma freira pintora hiperrealista, em cujos quadros o tratamento da luz tem um significado muito especial.



Enclausurada no mosteiro Cistercense de Santa Lucía, em Saragoça, só sai de lá mais ou menos de três em três anos, para expor em Madrid os trabalhos que realizou durante esse período.




Desde a adolescência que sentiu , simultaneamente, as suas duas vocações. Foi uma menina rebelde que quis amar a Deus e pintar, e conseguiu o que desejava.



Iniciou-se na pintura aos doze anos, e, aos 23, ingressou na vida monástica. Autora também de vários livros, autodidacta e ultra-realista, a sua obra reflecte o seu devotado empenho.




Para ela, “pintar e amar a Deus” se completam.




O tema de seus quadros é, principalmente, a figura humana: jovens adolescentes -"porque asimilamos la esperanza a la juventud', em atitudes de serenidade e repouso, mas também pinta naturezas mortas com grande maestria técnica.




As mulheres (adultas e crianças) que figuram nas suas pinturas, transmitem uma calma e tranquilidade de uma beleza incrível.




Isabel começa a sua jornada às cinco da manhã e, depois de quatro horas de oração, às nove e meia começa seu trabalho no ateliê de pintura. Este, é o único que diferencia a sua vida das demais religiosas do mosteiro, já que estas se dedicam a restaurar livros antigos. A vida no convento serviu para um isolamento sereno das preocupações terrenas.



A sua obra pretende ser uma mensagem de ESPERANÇA, como ela disse: " A beleza existe, Nem tudo está perdido…”.



"A esperança não é um sonho, mas uma maneira de traduzir os sonhos em realidade." (Cardeal Suenens)

Sem comentários:

Publicar um comentário

Topo