quarta-feira, maio 31, 2017

Jacques François Joseph Carabain




O Pintor Jacques François Joseph Carabain, ou Jacob Frans Jozef Carabain (23 de fevereiro de 1834, Amsterdão - 2 de janeiro de 1933, Schaerbeek) era um pintor holandês-belga, conhecido principalmente pelas suas cenas de cidades e edifícios no estilo romântico-realista. 





Estava especialmente interessado em estruturas medievais e barrocas, e era frequentemente atraído por mercados movimentados. Começou os seus estudos na Amsterdam Kunstakademie, onde inicialmente se dedicou a apintar paisagens e marinhas, bem como paisagens urbanas. Teve como professores Jacobus Schoemaker Doyer e Valentijn Bing (1812-1895).




A sua primeira grande exibição foi na Exposição de Mestres Vivos em 1852. Viveu em Amsterdão até 1856, viajando depois pela Europa, morou em Bruxelas por um curto período antes de se estabelecer em Schaerbeek. Foi lá que ele começou a se especializar em paisagens urbanas tendo sido influenciado por François-Antoine Bossuet.  Expôs na Terceira (1873) e Quarta (1874) Exposições Internacionais em Londres. Em 1880, tornou-se cidadão belga. Em 1885, viajou para a Nova Zelândia e Austrália, onde expôs na Academia Vitoriana de Artes. Depois de morar em Melbourne por um tempo, voltou para casa em 1889. 





De 1894-1897, pintou uma série de 59 aguarelas representando as antigas áreas de Bruxelas. Este foi o resultado de uma comissão do prefeito Charles Buls, que estava preocupado com os grandiosos planos de redesenvolvimento executados pelo rei Leopoldo II. 




Em 2011, realizou-se uma grande exposição sobre estas obras no Museu da Cidade de Bruxelas. Realizou a sua última exposição em 1907 e parece ter parado de pintar.





Morreu um mês antes de seu 99º aniversário. Dois dos seus filhos tornaram-se artistas; Victor (1863-1942), que também fez paisagens urbanas, e Emile, um pintor de natureza morta sobre quem pouco se conhece.




Texto explicativo: Wikipedia


sexta-feira, maio 26, 2017

Isabel Guerra – A freira pintora espanhola


Madre Isabel Guerra (Madrid, Espanha, 1947) é uma freira pintora hiperrealista, em cujos quadros o tratamento da luz tem um significado muito especial.



Enclausurada no mosteiro Cistercense de Santa Lucía, em Saragoça, só sai de lá mais ou menos de três em três anos, para expor em Madrid os trabalhos que realizou durante esse período.




Desde a adolescência que sentiu , simultaneamente, as suas duas vocações. Foi uma menina rebelde que quis amar a Deus e pintar, e conseguiu o que desejava.



Iniciou-se na pintura aos doze anos, e, aos 23, ingressou na vida monástica. Autora também de vários livros, autodidacta e ultra-realista, a sua obra reflecte o seu devotado empenho.




Para ela, “pintar e amar a Deus” se completam.




O tema de seus quadros é, principalmente, a figura humana: jovens adolescentes -"porque asimilamos la esperanza a la juventud', em atitudes de serenidade e repouso, mas também pinta naturezas mortas com grande maestria técnica.




As mulheres (adultas e crianças) que figuram nas suas pinturas, transmitem uma calma e tranquilidade de uma beleza incrível.




Isabel começa a sua jornada às cinco da manhã e, depois de quatro horas de oração, às nove e meia começa seu trabalho no ateliê de pintura. Este, é o único que diferencia a sua vida das demais religiosas do mosteiro, já que estas se dedicam a restaurar livros antigos. A vida no convento serviu para um isolamento sereno das preocupações terrenas.



A sua obra pretende ser uma mensagem de ESPERANÇA, como ela disse: " A beleza existe, Nem tudo está perdido…”.



"A esperança não é um sonho, mas uma maneira de traduzir os sonhos em realidade." (Cardeal Suenens)

quinta-feira, maio 25, 2017

O PINTOR - Gerhard Nesvadba




O artista Gerhard Nesvadba nasceu em 1941 em Darmstadt, Alemanha, perto de Frankfurt / Main. Em 1943, sua família mudou-se para Viena, Áustria, o país que Gerhard continua a viver até hoje.






Em seus anos mais jovens Gerhard estudou para ser um homem de negócios. Após sua formatura, ele entrou para o exército, onde serviu por um ano. Após o serviço militar, Gerhard decidiu seguir uma vida nas artes.






A sua primeira exposição individual foi em Copenhaga, em 1971. É um pintor de sucesso desde logo o inicio da sua carreira, sendo os seus trabalhos apreciados por colecionadores de todo o mundo.






Em 1994, Gerhard e a sua esposa Hermine mudaram-se para Salzburgo, na Áustria. Vivendo assim num local maravilhoso, os Alpes,  retira a sua inspiração das paisgens  ao seu redor.






Para conhecer melhor a obra deste brilhante artista podem visitar o seu site pessoal: “Gerard Nesvaba”







"As grandes obras de arte somente são grandes por serem acessíveis e compreendidas por todos." (Leon Tolstoi)

sexta-feira, maio 12, 2017

A arte de Josephine Wall


Josephine Wall é uma talentosa artista que nasceu em Farnham, Surrey, Inglaterra, em 1947.




Desde a infância, Josephine sempre teve uma paixão pela luz e cor, fantasia e histórias visuais.




Imagens encantadoras e detalhadas circulavam livremente na sua imaginação numa cascata interminável de idéias.




Estudou artes plásticas no Colégio Bournemouth e o seu primeiro emprego após sair da faculdade foi na Olaria Poole, onde pintou os dinâmicos e coloridos desenhos das mercadorias Delphis.




Além do seu amor principal pela pintura, ela direciona as suas energias criativas em figuras de cerâmica, escultura e vitrais.




As suas pinturas são principalmente influenciadas e inspiradas no talento ilustrativo de Arthur Rackham, bem como na arte de artistas surrealistas como Magritte e Salvadore Dalí, e no romantismo dos pré-rafaelitas.




É especialista em imagens místicas, surreais onde a fantasia e a cor as torna encantadoras.




Sereias, as profundezas do oceano, lindissimas deusas, cavalos-marinhos a nadar entre uma miríade de peixes e acompanhados por golfinhos brincalhões, flores deslumbrantes, borboletas, todo o encanto e magia da natureza, num mundo encantado. Uma viagens de fantasia pelo mundo do sonho.




Algumas das suas obras foram expostas em Teerão e Tóquio em 1974 e a sua primeira exposição individual ocorreu no ano seguinte em Swindon.




Josephine e os seus quadros foram objecto de um programa especial de televisão, em 1990. Depois de uma visita à Feira da Primavera, em Birmingham, em 1993, ela assinou contratos com empresas na Grã-Bretanha e Suíça para publicar o seu trabalho como gravuras, cartazes e cartões para distribuição mundial.




Em 1998, cinco das suas obras originais foram selecionados para uma exposição na galeria London's Mall, intitulada "A Arte da Imaginação".




Em 2004 realizou a sua primeira exposição em Nova York Art Expo e no ano seguinte no mesmo local foi lançado o seu primeiro livro “O Mundo da fantasia de Josephine Wall".




Josephine trabalha principalmente com tinta acrílica, o que lhe permite pintar rapidamente e criar muitos efeitos texturizados e coloridos.  As suas pinturas levam em média 2 a 4 semanas, dependendo do tamanho e tema.




Reside com o marido, na zona costeira de Dorset em Wisteria Cottage, trabalhando num estúdio construído propositadamente sótão da casa. Josephine está convencida de que o trabalho sob o telhado em forma de pirâmide é uma fonte de vibrações inspiradoras, auxiliando a sua criatividade!




Afirma que grande parte da inspiração para suas imagens místicas vem de sua estreita observação da natureza e do seu interesse na sua preservação.

Tenta transmitir frequentemente na sua arte uma mensagem e cada imagem é uma viagem ao mundo mágico de sua própria imaginação.

Visitem o site oficial dessa fantástica artista: JosephineWall

Fotos e Fontes: Wikipedia e http://www.josephinewall.co.uk/





"Os espelhos são usados para ver o rosto; a arte para ver a alma." George Bernard Shaw
 
 
Topo